Navegação – Mapa do site

InícioNúmeros17Capa MIDAS 17

Capa MIDAS 17

Capa MIDAS 17

“Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste”, 2013, de Jonathas de Andrade

Descrição

A escolha de obras de artistas para as capas da MIDAS visa o prolongamento da discussão sobre museus, sobre os seus modos de existência e sobre como são percebidos ou vividos na contemporaneidade sob o olhar dos artistas contemporâneos. A imagem da capa do 17.º número da MIDAS tem por base uma fotografia da instalação do artista brasileiro Jonathas de Andrade “Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste” [77 cartazes, cerca de 40 displays (parede, teto e chão), 6 acetatos com anotações com projetor, 9 reproduções de classificados de jornal]. Nas palavras do artista: 

 

«O projeto Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste começou com anuncios lançados nos classificados de um jornal popular do Recife entre 2012-2013. Os textos dos anuncios variavam a cada semana e procuravam trabalhadores interessados em posar para o cartaz do Museu do Homem do Nordeste. Vários telefonemas em resposta ao anúncio davam início a conversas em torno da convocação e de como cada um se imaginava representando a região a partir de seu próprio repertório de vida. Além dos telefonemas, fotografias eram feitas diante de situações de trabalho encontradas na rua, ao acaso. Cada encontro e conversa foram documentados em anotações das quais seis são mostradas na instalação final. Os 77 cartazes da instalação variam de acordo com a temperatura de cada encontro, em uma laboriosa construção de identidade – do homem, da imagem do museu – baseada numa ambivalente, antropofágica e erotizante relação.» (fonte: https://cargocollective.com/jonathasdeandrade/cartazes-para-o-museu)

 

Jonathas de Andrade nasceu em Maceió em 1982, vive e trabalha em Recife, Brasil. Ele desenvolve vídeos, fotografias e instalações a partir da produção de imagens, utilizando-se de estratégias que misturam ficção, realidade, tradição e colaborações com grupos de pessoas e comunidades. Entre as exposições individuais em que o artista participou, estão: Olho-Faísca, no MAAT, Lisboa (2023) e Crac Alsace, França (2022); Staging Resistance, no Foam, Amsterdão (2022); One to one, no Museum of Contemporary Art Chicago (2019), bem como no New Museum, Nova Iorque (2017); The Power Plant, Toronto (2017); Museu de Arte do Rio (2014-2015); Entre as exposições coletivas, os seus trabalhos integraram a 16.ª Bienal de Istambul (2019); MAXXI: National Museum of XXI Century Arts, Roma (2018); 32.ª Bienal de São Paulo (2016); The Museum of Modern Art MoMA (2015); e Guggenheim Museum, Nova Iorque (2014). Entre festivais de cinema e exibições únicas, o artista participou da 12.ª Janela Internacional de Cinema do Recife (2019), Batalha Centro de Cinema de Porto (2023), Cine Concerto - Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2023). Jonathas de Andrade apresentou projeto individual para o Pavilhão do Brasil na 59.ª Bienal de Veneza (2022).       

Créditos
© Aurélien Mole. Conceção da capa: Elisa Noronha
Direitos de autor

Apenas o texto pode ser utilizado sob licença . Outros elementos (ilustrações, anexos importados) são "Todos os direitos reservados", à exceção de indicação em contrário.

Ficheiro original
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search